Aguarde um momento, por favor...

 
 
EnglishEnglish
 
Página inicial » António Lobo Antunes
 
2007
António Lobo AntunesAntónio Lobo Antunes

Foi com a frase «É um prazer lembrarem-se do meu nome» que o escritor António Lobo Antunes agradeceu a distinção do Júri da 19ª Edição do Prémio Camões. Nascido em Lisboa a 1 de Setembro de 1942, licenciou-se em Medicina, com especialização em psiquiatria. Esteve destacado em Angola, entre 1970 e 1973, durante a fase final da Guerra Colonial portuguesa. A sua experiência de guerra inspirou muitos dos seus livros. Regressado a Portugal, trabalhou no hospital psiquiátrico Miguel Bombarda, em Lisboa.
Em 1979 publica «Memória de Elefante» , o seu primeiro romance e «Os Cus de Judas».Seguem-se «Conhecimento do Inferno» (1980), «Explicação dos Pássaros» (1981), «Fado Alexandrino» (1983). Começa a dedicar-se totalmente à actividade de romancista, deixando aos poucos de exercer a psiquiatria, embora não abandone o Hospital Miguel Bombarda, onde manterá alguns doentes. Em 1985 publica «Auto dos Danados», com que recebe o Grande Prémio de Romance e Novela da APE. Em 1988 publica «As Naus», em 1990, o «Tratado das Paixões da Alma», em 1992 a «Ordem natural das coisas».

Em 1995, edita o seu primeiro livro de crónicas e em 1996, o «Manual dos Inquisidores». Com a «Morte de Carlos Gardel» é-lhe atribuído o Prémio France Culture em 1994.

Em 2002, comemora 20 anos como autor na Dom Quixote. A editora publica o seu «Segundo Livro de Crónicas», oferecendo a «inédita e irrepetível» edição de «Letrinhas de Cantigas», poemas de António Lobo Antunes para o cantor Vitorino.

Em 2004 recebe o Prémio Fernando Namora da Sociedade Estoril Sol, pelo romance «Boa Tarde Às Coisas Aqui Em Baixo», e pelo conjunto da obra é galardoado com um dos grandes prémios internacionais de literatura, o Prémio Jerusalém. Publica «Eu Hei-de Amar Uma Pedra» no mesmo ano em que comemora 25 anos de vida literária. Tereza Coelho publica a sua Fotobiografia.

Em 2005 é distinguido pela Grande Ordem de Santiago de Espada, e recebe o Globo de Ouro Sic / Caras 2004 na categoria Artes. Em Junho, a Biblioteca Municipal de Nelas adopta o seu nome. Suas filhas Maria José e Joana publicam em Novembro as cartas que escreveu a sua mulher durante o período em Angola, sob o título D'este Viver Aqui Neste Papel Descripto - Cartas da Guerra.


Em 2006 publica em Março o seu «Terceiro Livro de Crónicas». Recebe o Prémio José Danoso 2006 atribuído pela Universidade Chilena de Talca. Em Outubro, publica o 18º romance, «Ontem não te vi em Babilónia».


Como diz Maria Alzira Seixo, no Jornal de Letras de 28 de Março de 2007 «…Obra imensa e incessante, mantendo-se na primeira linha da criação literária, impõe-se, contra a usura do tempo e da fortuna, pelo valor e ausência de vazios ou quebras de criatividade, numa esplendorosa manifestação da arte de escrever em língua portuguesa».