Aguarde um momento, por favor...

 
 
EnglishEnglish
 
Página inicial » Alberto Costa e Silva
 

Alberto da Costa e Silva


Nasceu em São Paulo em 1931. É poeta, ficcionista, historiador e membro da Academia Brasileira de Letras. É considerado um dos mais importantes intelectuais brasileiros e especialista da cultura e da história africanas, e um dos grandes memorialistas da atualidade.

Publicou diversos livros sobre África, como A enxada e a lança (1992), A manilha e o libambo (2002), Um rio chamado Atlântico (2003) e Francisco Félix de Souza, mercador de escravos (2004). Escreveu Castro Alves, um poeta sempre jovem (2006), para a coleção Perfis Brasileiros, da Companhia das Letras. É também autor de livros infanto-juvenis, como Um passeio pela África (2006) e A África explicada aos meus filhos (2008).

Em 2009, publicou O quadrado amarelo, que reúne textos sobre arte e literatura, cruzando referências populares e eruditas, recorrendo à memória e às suas experiências de viagem. Além dos Poemas reunidos (2000), publicou dois volumes de memórias, Espelho do Príncipe (1994) e Invenção do desenho (2007). Entre os prémios e distinções que recebeu, estão os títulos de doutor honoris causa pela Universidade Obafemi Awolowo (ex-Universidade de Ifé, Nigéria, 1986), pela Universidade Federal Fluminense (2009) e pela Universidade Federal da Bahia, em 2013.

É membro do PEN Clube do Brasil e sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. É ainda sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e sócio correspondente da Academia Portuguesa da História e da Real Academia de História, de Espanha.

Foi membro do Júri do Prémio Camões em 2001, 2003 e 2013.

Como diplomata, Alberto da Costa e Silva tem uma carreira brilhante, tendo sido ministro-conselheiro em Madrid e Roma, e embaixador em Lisboa, Lagos (Nigéria), Bogotá, Assunção.

As muitas condecorações que recebeu ao longo da vida, atribuídas por inúmeros países, mostram a sua importância como intelectual e homem de letras, que sempre defendeu a língua portuguesa. Portugal atribuiu-lhe a grã-cruz da Ordem Militar de Cristo, a grã-cruz da  Ordem Militar de Sant' Iago da Espada e a grã-cruz da Ordem do Infante Dom Henrique.